Horário de verão pode não ser implantado em 2017

O Governo Federal pode não adotar este ano o horário de verão. O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), órgão ligado ao Ministério das Minas e Energia, não aprovou o horário de verão brasileiro para este ano. A decisão foi tomada na última quarta-feira, quando os integrantes do comitê se reuniram para discutir a questão e emitir um parecer ao Palácio do Planalto, que também vai avaliar o posicionamento do Ministério do Turismo. Apenas as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste adotam o horário de verão atualmente.

Desde 2003, os estados do Nordeste não adiantam mais os relógios em uma hora, sendo que a Bahia chegou a adotar a prática em 2011, mas desistiu no ano seguinte. O Brasil adotou o horário de verão pela primeira vez em 1931. De acordo com o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, o horário de verão até auxilia na economia de energia, porém numa proporção pequena.

“O grande mérito do horário de verão é ‘quebrar a ponta’, conforme jargão que utilizamos no setor elétrico. Ou seja, na década passada, todo o consumo de energia do país se dava às 18h, mas quando entro com o horário de verão, não ocorre mais a coincidência do consumo em todo o país. Dessa forma, as vias do setor elétrico, que são as linhas de transmissão, ficam descongestionadas”, afirmou Pepitone.

Trocando em miúdos: seria como se parte das empresas liberassem os funcionários uma hora antes do horário comercial, o que diminuiria substancialmente o engarrafamento nas estradas. “Porém, com o avanço da economia, melhoria de renda da população de baixa renda e as novidades do setor elétrico, como geração distribuída, armazenamento de energia e a entrada de fontes renováveis, tais como eólica e solar, o comportamento do sistema mudou”, relatou o diretor da Aneel.

Pepitone afirmou que, dessa forma, o momento de “estrangulamento” do sistema, que antes ocorria às 18h, atualmente passou a acontecer das 14h às 15h. “Isso é bastante curioso. Por isso, de fato, para o setor elétrico, o horário de verão não agrega mais valor. Então, dependendo do setor, não tem mais razões para existir o horário de verão”, frisou.

O Ministério do Turismo, por outro lado, salienta a importância de aproveitar por mais tempo a luz do sol para beneficiar as atividades do setor de serviços, por exemplo.

Celina Modesto – Jornal Correio da Paraíba

Print Friendly, PDF & Email

Matérias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *