BH: a capital mundial da cachaça

De 07 a 10 de junho, Belo Horizonte se transforma, mais uma vez, na capital mundial da cachaça de alambique. A cidade recebe a 28ª edição da Expocachaça, que completa 21 anos em 2018, chegando à maioridade. O evento deste ano espera receber cerca de 200 expositores, entre produtores da bebida e fornecedores de equipamentos do todo o país. Em 2017, a feira recebeu um público aproximado de 45 mil pessoas em 4 dias de feira.

Uma das novidades deste ano é a comemoração dos 30 anos da ANPAQ – Associação Nacional dos Produtores e de Integrantes da Cadeia Produtiva e de Valor da Cachaça de Alambique, 75 anos da Havana, que terá uma garrafa especial, e 85 anos do Sindibebidas/FIEMG. Além disso, os visitantes poderão conferir 12 shows ao longo dos quatro dias de festival, como a dupla César Menotti e Fabiano, no primeiro dia da feira.

Os ingressos poderão ser adquiridos antecipadamente, através do site www.expocacahaca.com.br, ou na bilheteria. Os valores são R$40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). A 28ª edição da Expocachaça conta com a parceria da Liberdade FM, apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e o patrocínio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, Suggar e Governo de Minas.

Os participantes da feira contarão com um incentivo especial para chegar e deixar o evento. A organização da Expocachaça fechou uma parceria com a Cooper Táxi BH e oferecerá 30% de descontos nas corridas. Para os visitantes de fora de Belo Horizonte, a opção de estadia é o hotel Intercity, localizado a poucos minutos do Expominas, local de realização da Expocachaça.

Comer bem

Quem vier para feira e quiser aproveitar alguns dias na cidade, o que não faltam em Belo Horizonte são boas opções de gastronomia. Com um conceito gastronômico inédito, o Monjardim Costelaria e o Vila Monjardim Costelaria ganham cada vez mais apreciadores em Belo Horizonte e Nova Lima. Oferecendo um ambiente familiar e cardápio diferenciado, o destaque do Monjardim é a costela uruguaia. Assada por 120 minutos em celofane e finalizada na churrasqueira, a carne hereford ou angus chega à mesa dos clientes com farofa, vinagrete e cebola vitrificada por R$ 98,90 e serve três pessoas. A sugestão do chef para acompanhar o prato é a mandioca cozida na manteiga de garrafa por R$ 29,90.

Onde: Monjardim Costelaria (R. Curitiba, 2076, Lourdes – BH/MG) e Vila Monjardim Costelaria (Alameda Oscar Niemeyer, 1033, Vila da Serra – Nova Lima/MG)

 

Conheça Belo Horizonte

Além de conhecer e se deliciar com as principais cachaças e cervejas do Brasil e curtir shows dos mais variados ritmos, a dica é esticar mais uns dias e aproveitar a capital mineira. Cercada pela Serra do Curral, que lhe serve de moldura natural e referência histórica, Belo Horizonte foi planejada e construída para ser a capital política e administrativa do estado mineiro. Apesar de sua área estar quase que completamente urbanizada, a cidade possui vários parques urbanos e áreas verdes que abrigam mananciais e várias espécies de vegetais e animais.

Sugestões de passeios:

– Pampulha: A 8,5 km do centro de Belo Horizonte está a Região da Pampulha, com uma grande lagoa artificial, com belas e modernas residências. Ali há um conjunto arquitetônico de importantes obras: a Capela de São Francisco de Assis, localizada na beira do lago, projetada por Oscar Niemeyer e decorada com pinturas de Cândido Portinari, recebeu jardins do paisagista Roberto Burle Marx. É também na Pampulha que se encontra o estádio Governador Magalhães Pinto, conhecido como o Mineirão, o segundo maior estádio de futebol do país; o Mineirinho, a Casa do Baile; o Museu de Arte da Pampulha (MAP); o Parque Ecológico da Pampulha; o Jardim Botânico de Belo Horizonte; o Parque Guanabara e o Jardim Zoológico da cidade.

– Parque Municipal Américo Renné Giannetti: Inaugurado no dia 26 de setembro de 1897, antes mesmo da nova capital mineira, o Parque Municipal Américo Renê Giannetti é o patrimônio ambiental mais antigo de Belo Horizonte. O Parque Municipal possui diversas nascentes que abastecem três lagoas e cerca de 280 espécies de árvores exóticas e nativas e é também refúgio para a fauna silvestre. Como opções de lazer, o parque oferece brinquedos, equipamentos de ginástica, pista de caminhada, quadra poliesportiva, pista para skate e quadra de tênis

– Feira da Afonso Pena: Reunindo aproximadamente 50 mil visitantes por semana, a Feira da Afonso Pena conta com mais de 2.500 expositores que expõem e vendem trabalhos artesanais. Os produtos chegam de diversas regiões do estado: das peças artesanais do Vale do Jequitinhonha até as roupas de frio do Sul de Minas, incluindo quinquilharias, bijuterias, sapatos e alimentos. O turista tem na feira um autêntico encontro com o artesanato e a culinária típica, expressões da grande riqueza cultural verificada no Estado.

– Mercado Central: No Centro de Belo Horizonte está o Mercado Central, centro popular da cultura mineira na capital e grande atração turística da capital. O Mercado Central foi criado em 7 de setembro de 1929. Ao longo dos anos, foi ampliando suas atividades e hoje além de produtos alimentícios pode-se encontrar lá desde artesanato a animais de estimação, de artigos religiosos a relojoaria, dentre várias outras especialidades em suas 400 lojas.

Mapa de Belo Horizonte: http://pesquisabelotur.com.br/newsletter/mapa22092016.pdf

Pessoa Agência de Relações Públicas

Print Friendly, PDF & Email

Matérias relacionadas

Comments

comments